Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Como é do conhecimento de todos, a Visita Pascal este ano sofreu algumas alterações. Contudo, à excepção das condições meteorológicas que por vezes não surgiram tão favoráveis quanto gostariamos, tudo decorreu com tranquilidade.

Este ano iniciou-se a visita pascal na "meia-de-cima", por ser Domingo e o pároco ter mais Eucaristias a celebrar à excepção da Miranda, decidiu celebrar a Missa de Páscoa pelas 10h30, seguindo o Compasso para a residência paroquial e restante lugar do Mosteiro, como habitual no primeiro dia de Visita. Ainda da parte da manhã, a Cruz com a imagem de Cristo ressuscitado (já há alguns anos que a imagem de Cristo pregado na cruz foi substituída pela imagem de Cristo resssuscitado) Visitou os lugares de Cotão e Agrochão. Antes destes dois lugares foi aberta uma excepção (a pedido das pessoas) e o Compasso seguiu ainda para o lugar da Bogalhosa, que pertence à "meia-de-baixo" e portanto receberia a Visita no dia seguinte. Após pausa para almoço, pelas 14h30 (e o Padre João esteve pontual durante toda a Visita Pascal deste ano) reiniciou-se a Visita no lugar da Devezinha, seguindo para Mangoeiros, Casal Senim, Represas, Almoinha e Pontinha, onde encerrou a Visita Pascal da "meia-de-cima" por volta das 19h30.

Por serem cada vez menos as casas a "abrir a porta" e pela disponibilidade de toda a tarde, o pároco e restantes elementos do Compasso pascal, bem como o grupo de pessoas que o acompanham com o objectivo de desejar boas festas a familiares e amigos puderam melhor confraternizar com as pessoas em cada residência sem as antigas pressas que desagradavam as pessoas há anos atrás.

Na Segunda-feira a "alvorada" deu-se mais cedo com a celebração da Missa às 8h30 da manhã, pois para além da "meia-de-baixo" ser maior, da parte da tarde o Padre João tinha de estar disponível para a Visita Pascal na nossa freguesia vizinha - Padreiro (Sta Cristina).

Assim, a Visita iniciou neste dia no lugar da Vaqueira, seguindo-se para a Insua. Após uma viagem mais longa até aos lugares de Carvalhal e Letrigo, Visitou-se o lugar da Raposeira e quando se chegou a Cendufe eram já 12h. O Compasso seguiu para a Regueira e por fim para o Padrão, onde terminou mais concretamente no Eido Fundo, como nós popularmente designamos aquela parte do lugar. Certamente que, apesar da chuva que neste dia quis estar mais presente, o espírito da Páscoa e da Visita Pascal esteve bem presente, pois voltaram a ser dezenas de pessoas que visitavam as casas a desejar as boas festas.

Este ano os elementos do Compasso pascal mantiveram-se nos dois dias, sem substitutos do pároco nem de outro elemento que o acompanhou.

Mais um ano, mais uma Páscoa com tradição e mais uma visita de muitos doa nossos emigrantes, estejam emigrados lá fora ou no interior do país.

Apesar de cada vez mais serem as casas que "fecham a porta à cruz", é notável as famílias que apesar do luto ou de estados de doença mais debilitados continuam a receber a Visita Pascal e com esta os amigos que a acompanham, pois embora toda a diversão que existe entre todos de casa em casa nestes momentos o respeito está presente.

E porque não se encerra a Visita Pascal sem Clamor, no próximo Domingo realizar-se-à o "recolhimento da Cruz", tal como nos anos anteriores.

 

Este ano não me foi possível tirar fotos ao Compasso Pascal, mas certamente que entre amigos no Facebook encontrarão alguns retratos da Páscoa deste ano na Miranda.

Autoria e outros dados (tags, etc)





Último comentário

  • Anónimo

    VivaEste servico esta muito irregular....mas e a e...


Notícia mais comentada