Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O título é confuso, tal e qual é confusa a situação.

No lugar de Casal-Senim, junto de um contentor de recolha de lixo doméstico, alguém reparou no que certamente já outros repararam, mas se algo fizeram de nada lhes valeu. Publico primeiramente uma fotografia da situção e analisemos de seguida.

13052629_714260078676881_997401918_o.jpg

 Junto deste contentor de lixo doméstico/ lixo comum encontram-se várias pedras de grande porte que dificultam o acesso ao dito contentor. Apesar de não impedirem que uma pessoa acesse ao contentor, dificulta certamente a recolha do lixo por parte dos profissionais destinados a estas funções. Para não citar o facto de não ser local de despejo de pedra, nem por normas legais, nem por estética do local, nem por respeito pelos outros.

Falando em respeito pelos outros e em normas legais, parte deste lixo podia ter sido acondicionado (num saco plástico) e colocado dentro do dito contentor, pois apesar de o acesso estar condicionado as pedras não impedem o total acesso. É suposto que o lixo doméstico seja devidamente acondicionado e colocado dentro do contentor enquanto que o lixo de maior porte, neste caso os electrodomésticos e maquinaria de uso doméstico, sejam colocados junto do dito contentor de forma a que "os homens da recolha" comuniquem o pedido de "recolha de monstros". Para isto voltamos à situação das pedras. Onde está o espaço livre para o efeito?

Quanto se sabe, este "depósito" não é recente. Como é possível que ainda não tenha sido feita a recolha do mesmo? A recolha do lixo não é feita diariamente, mas seria importante a tomada de uma atitude rápida por parte das autoridades da freguesia uma vez que a situação tende a agravar-se com a colocação de "novo lixo".

Pergunto-me se as autoridades locais já foram alertadas para a situação e caso tenham sido onde está a resolução da situação?

A Miranda não é uma terra de população densa, mas os dias quentes aproximam-se e situações destas podem causar problemas graves aos quais as autarquias devem estar atentas.

Esta situação faz lembrar o caso da vaca morta há uns anos na zona da Poça do Couto em que as autoridades pareciam nada querer saber.(Relembrar notícia)

13090800_714260065343549_2100356165_o.jpg

 

Texto: Miranda em Notícia

Fotos: Mirandenses atentos

Autoria e outros dados (tags, etc)

  • Falecimentos:

Faleceu no início do mês de Março, vítima de doença, a D. Maria Barbosa Fernandes, irmã de Celestino Fernandes. Natural da Raposeira, era viúva e encontrava-se a residir na zona da capital, tendo sido sepultada em terras alentejanas onde decorreram as cerimónias fúnebres.

Também no dia 26 a Miranda fez a despedida física de uma quase centenária. À distância de 5 meses de celebrar os seus 100 anos de vida, faleceu a D. Maria Dantas Neiva, viúva, do lugar de Cendufe. O corpo esteve em câmara ardente na sua residensia de onde partiu para a igreja paroquial para celebração da missa de corpo presente. O corpo foi a sepultar no cemitério da freguesia. O festejo de mais um centenário não nos foi concedido, contudo, apesar das más condições meteorológicas, a sua família prestou devida homenagem ao optarem pelo cortejo fúnebre a pé entre a residência da falecida e a igreja paroquial.

 

  • Celebrações da Páscoa:

As celebrações da Páscoa decorreram dentro do habitual, contudo foram feitas pequenas alterações que o pároco da freguesia justificou com o conjugar de celebrações de eucaristias nas outras freguesias onde exerce funções.

No Domingo, a missa de dia de Páscoa decorreu no horário habitual das missas dominicais saindo depois o compasso pascal para a "meia-de-baixo". Desta vez, ao invés de iniciar na Vaqueira (após o Mosteiro que é sempre o primeiro lugar a "receber a cruz"), a visita pascal foi iniciada no Carvalhal, seguindo-se Letrigo, Raposeira, Insua e Vaqueira. Foi feita uma pausa para almoço e seguiu-se pelas 15h30 para os lugares de Cendufe, Regueira e Padrão. Na Segunda-feira de Páscoa, após a eucarístia, "a cruz" seguiu para o lugar de Agrochão, Devezinha, Mangoeiros, Represas, Almoinha, terminando na Pontinha.

Este ano voltou a notar-se ao longe que era dia de Páscoa na Miranda pela recuperação da tradição do "lançar no fogo" no fim de cada lugar.

 

O Domingo de Pascoela, como tem vindo a ser desde há alguns anos, foi o dia de visita à residência paroquial, seguindo-se "o clamor" para a igreja "recolhendo-se a cruz" das festividades pascais.

 

  • Concelho Directivo de Baldios:

Realizou-se recentemente nova constituição do Concelho Directivo de Baldios. Na nova lista constam antigos integrantes, bem como novos nomes nos diversos cargos. A presidência cabe desta feita a Domingos Fernandes Leal (Devezinha).

 

  • Festa em honra de Sto António e N. Sra do Emigrante

A comissão de festas, ou Grupo de Jovens da Miranda, continua empenhada na organização da tradicional festa de Agosto, encontrando-se a decorrer o peditório para ajuda da realização da mesma.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)




Último comentário

  • Anónimo

    VivaEste servico esta muito irregular....mas e a e...


Notícia mais comentada